12 de março de 2013

A Última Ipswich by Roberta Spadotto

| |








Prólogo:

Eu era uma garota normal ou pelo menos achava que era.....

Capitulo 01 : Como Tudo Começou

1692 Residência dos Ipswich, em Suffolk, na Inglaterra

- Vamos a senhora precisa fazer força – dizia a morena
- Estou me esforçando o máximo que posso- a loira respondia
Naquele momento pode-se ouvir pela enorme casa o choro da criança
- É uma menina! Parabéns Miranda – A morena trazia a criança para perto da Loira
- Veja querida é a nossa menininha – Dizia o moreno alto com um sorriso enorme no rosto
- .... – a voz fraca da loira acalmava a criança que se debatia nos braços do pai
- Miranda? Querida não durma, não Miranda! – O moreno começa a se desesperar, mas já era tarde, Miranda já havia deixado o seu corpo
- Miranda! – O moreno grita em vão – faça alguma coisa Anne
- Eu não posso fazer nada Philippe, o espírito de Miranda já deixou o corpo dela... – Tentava argumentar
- Não! Por favor Anne vamos faça um feitiço e traga Miranda de volta não posso viver sem ela – a pequena criança recém-nascida se debatia nos braços dos pai
- Não posso fazer nada! Se eu fazer algum feitiço vou mexer com o equilíbrio da natureza
De repente a porta é aberta e várias pessoas com capas entram
-Olá Philippe – Disse uma voz grossa
- Olímpia? Alexandre? O que fazem aqui? Aconteceu algo? Por que a guarda toda está reunida? – Philippe ainda assustado por ver todos ali naquele imenso quarto fazendo-o ficar pequeno de tanta gente que ali tinha
- acalme-se Philippe uma pergunta de cada vez,venha deixe que eu acalmo a pequena – a loira disse vindo calmamente em direção do moreno pegando a criança no colo. Philippe se pôs a observar a mulher loira tão parecida com sua falecida esposa a dar banho na criança enquanto cantava uma música acalmando a mesma que parava de chorar aos poucos logo após o banho a criança já estava a dormir todos se retiraram no imenso quarto e rumaram para a grande sala de visitas
- Agora tem como os senhores me explicarem o que esta a vendo? – Philippe perguntou olhando para o rosto de cada um ali presente
- Philippe, Miranda te contou da profecia da ultima Ipswich? – Alexandre perguntou ,Philippe franziu o cenho tentando se lembrar
-Não – Philippe disse sem certeza
- vou conta-la para você– Alexandre se sentou em uns dos sofás e passou a observar Philippe- Philippe como você sabe que os Ipswich são compostas por 5 famílias certo? – Alexandre perguntou e Philippe assentiu – certo, então deve saber que das 5 famílias 1 foi morta na época de caças as bruxas certo? – Philippe assentiu novamente – Bom existe uma profecia chamada “A Ultima Ipswich” ela foi criada a muitos anos atrás pelos primeiros Ipswich na profecia dizia que a ultima Ipswich nasceria com mas sangue de bruxo do que de humano então ela não seria totalmente uma hibrida seria uma feiticeira.
“A profecia diz que a ultima Ipswich seria aquela que ao completar seu 18º aniversário não envelheceria mais,que iria ser justa e mataria os frios que não seguissem as regras, os filhos da lua que se transformassem foras de suas correntes, todo ser sobrenatural que não seguisse de acordo com as regras seria punido severamente.
A ultima Ipswich teria 10 vezes mais força que qualquer outro ser sobrenatural,seria a mais belas das belas e........”
- Perdoe-me por te interromper Alexandre mais aonde quer chegar com tudo isso? – Philippe já estava aflito com essa profecia
- O que Alexandre esta querendo dizer é que a profecia se concretizou Philippe a criança que Miranda deu a luz , ela é A Ultima Ipswich – Disse Olímpia tomando o palavra
- Perdão? – Philippe se espanta com tal fato – Desculpe mais vocês devem estar enganados, como podem ter certeza de tal fato? Pelos meus conhecimentos vocês só são bruxos e não videntes
- A águia voltou Philippe e no bilhete havia o nome de e o endereço daqui, de sua casa quer ter mais certeza? Pegue a criança ela tem uma marca de nascença no seu braço direito é o símbolo da águia Philippe – Finn toma a palavra, Philippe apressado sobe as escadas e entra no quarto da filha pega a mesma que estava dormindo e volta para sala todos onde todos estavam calmos, rapidamente Philippe olha no braço direito da filha e lá está o símbolo da águia (http://pixabay.com/static/uploads/photo/2012/04/14/14/43/black-34166_640.png)
- Como isso é possível? – Philippe pergunta para si mesmo enquanto passa a ponta dos dedos pela marca
- A profecia diz que A Ultima Ipswich, não só traria a águia de volta como também a própria seria sua guardiã deve ser por isso que ela tem essa marca Philippe a águia é guardiã de . – Finn completa
- Não pode ser – Philippe ainda estava inconformado
- Eu ainda não terminei de contar a profecia – Alexandre chama a atenção de todos novamente – enfim A Ultima Ipswich tem a águia como sua guardiã assim como ela pode ser transformar em uma também, é impressionante, seus dons vão se evoluindo com o tempo...
-Philippe, precisa ser treinada, ela precisa saber se controlar- Olímpia disse
- precisa vir conosco para podermos.....
- Não! é minha única filha, não podem tira-la de mim.... – Philippe segurou a pequena criança mais forte em seus braços
-Philippe ela não é uma criança normal, não pode conviver com pessoas normais até que ela tenha controle!
- Eu já disse NÃO! – Philippe começou a se estressar
-Philippe.....- Olímpia foi até ele e segurou seus ombros
- Não, ela é só uma criança- Philippe olhou para pequena criança que dormia sem nem ter noção que seus familiares estavam brigando por sua custódia
1697 – Residência dos Ipswich
Depois de muita discussão Philippe proporcionou a eles que voltassem quando completasse 18 anos, vendo que não teria outro jeito aceitaram e foram embora
- querida aonde você esta? – o moreno procurava pela filha de 05 anos pelos cômodos da grande casa
-Bú!- A pequena garotinha loira aparece atrás de seu pai que finge levar um susto
-Ah! Ai esta você minha princesinha- o moreno pega a pequena loirinha em seu colo e dá um beijo em sua bochecha fazendo a mesma soltar uma gargalhada gostosa fazendo o pai sorrir ainda mais- Helena vista precisamos ir até a cidade comprar algumas coisas – logo a criada chega e com um sorriso no rosto pega a garotinha no colo e leva-a até seu quarto
-Vamos pequena Bú escolha um vestido bem lindo para ir até a cidade – Helena abre a porta do guarda-roupa e sorri para a garotinha loira que sai correndo da cama em direção a seu armário para escolher seu vestido, logo a mesma volta com um vestido florido que continha uma pequena tira de pano para fazer um laço na cintura (http://2.bp.blogspot.com/-lUZAP7Le0Ts/T4Taz5kgdfI/AAAAAAAAC2w/NkX5De6MU8w/s320/vestidos%2Bde%2Bprincesas%2Binfantil%2B3.jpg) a criada sorri para a garotinha que sorri de volta com seus dentes perfeitamente brancos
- Bela escolha pequena Bú, venha vamos para o banho antes que a água esfrie- a criada deixou o vestido em cima da cama que ali havia e estendeu a mão para a garotinha que prontamente segurou e caminharam até o banheiro aonde a criada deu banho na menina
- Venha pequena Bú, vamos fazer um penteado muito lindo no seu cabelo
- Helena, você pode fazer um penteado de princesa em mim? – aquela voz doce de criança acalmava a criada que sorriu e assentiu fazendo um grande penteado no cabelo da pequena (http://4.bp.blogspot.com/--4j_rnSNA2c/TswVMSfcb8I/AAAAAAAAAB8/4jcLAv4egWg/s1600/PAAAANR8lA1jGaB12Ko0i8yG5TxWY7t1mRMDZQ3Ksem1ZEXTLN44Rtm8DOMLpJjFg8wt3YrL6yEX5mredY4PENm04BMAm1T1UCx2clgMA90hOthumpQwgeaBzI9x.jpg a mesma garota do penteado é a pp)
Apesar de só ter 05 anos já falava como se fosse gente grande as vezes até o pai ela assustava com tanta elegância, ela era educada sempre dizendo “obrigado” e “por favor” sentava-se de maneira reta como uma princesa cada dia ela lembrava mas a mãe
- Vamos pequena Bú, seu pai já deve estar impaciente – Helena pegou na pequena mão da criança e desceram a imensa escada que ali havia seu pai esperava no final da escada a garota sorriu ao ver o pai ali e pulou em seu colo
- Papai!
- Minha princesinha – o moreno pega com um sorriso no rosto – como você esta linda!
- Eu que escolhi o vestido e a Helena fez meu penteado de princesa olha papai parece com o da cinderela – o pai solta uma gargalhada ao ouvir a pequena tentar dizer cinderela
- você fica linda de qualquer jeito meu amor agora vamos temos que ir a cidade – o moreno se vira em direção a porta
- Tchau Helena – diz acenando com a sua pequena mãozinha
- Tchau pequena Bú, até mais tarde
Philippe colocou a criança na carruagem e mandou seguir olhava a paisagem pela pequena janela que ali havia até que quando olha em uma árvore,vê uma águia de cabeça branca a olhando, de certa forma aquela águia chamou a atenção de , a águia a seguia por entre as árvores que ali tinha, logo a carruagem parou e e Philippe Desembarcaram e começaram a andar todos cumprimentavam Philippe e , eles pararam na prefeitura aonde Philippe tinha uns assuntos para resolver com o prefeito. Laura a secretária do prefeito estava indo numa feira de artesanatos e convidou para ir com ela
- Papai posso ir com a Laura? – perguntou com seu olhar que encantava todos
- Claro mais volte logo por favor – Philippe disse entrando no gabinete do prefeito
Laura e foram até a feira e realmente as coisas lá eram muito bonitas Laura parou numa barraca de colares e anéis e parou ao seu lado olhando todos aqueles colares presos mas um chamou a atenção de (http://img2.mlstatic.com/colar-porta-verbena-elena-the-vampire-diaries-frete-gratis_MLB-O-3290780584_102012.jpg é o colar da Elena mas finge que não é por que eu só achei esse legal entãooo) A senhora que vendia os colares e anéis olhou para o braço de e viu sua marca rapidamente se espantou olhou para o colar que a menina tanto olhava e viu que era o mesmo colar de Maria uma bruxa do século 16 que graças a ele não morreu enforcada
- Ei você – a morena chamou a garotinha
- sim?
- Tome, esse colar te dará proteção,tome conta dele e nunca o tire do pescoço de forma alguma – a senhora lhe entregou o colar
- Mais senhora.....
- Sem mais pequena criança só faça o que eu te falei e agora vá não é seguro para você aqui – a morena disse olhando para os lados
segurou firmemente o colar assentiu com a cabeça e correu para a barraca do lado aonde Laura estava, Laura comprou mais alguma coisas e voltaram para a prefeitura Philippe ainda não havia saído do gabinete, olhou para o colar e ficou analisando ele “esse colar te dará proteção” “tome conta dele e nunca o tire do pescoço de forma alguma” se lembrou das palavras da senhora e rapidamente o colocou no pescoço
- Volte Sempre Philippe
- Voltarei prefeito,voltarei - Philippe olhou para filha e sorriu – Vamos?
- Sim papai, Tchau Senhor prefeito
- Até breve
De volta na carruagem olhou para as árvores e lá estava a águia olhando-a estreitou seus pequeno olhos azuis para tentar vê-la melhor, Philippe adentrou na carruagem e acabou assustando a garota
- Ei! O que foi?
- Nada papai, o senhor só me assustou – sorriu
- Me perdoe
- Tudo bem – voltou sua atenção para a águia mais a mesma já não se encontrava mais ali.
O que não sabia era que a ave estava ali só que em outra árvore , depois daquela discussão com os outros Ipswich, a ave ficou apreensiva de deixar sua protegida sozinha afinal ela voltou por causa dela e para protegê-la a vida daquela águia era proteger e era isso que ela iria fazer quando a carruagem adentrou dos portões a águia pousou em uma árvore e ficou a observar.
desceu da carruagem e olhou para seu pai com cara de pidona
- O que houve minha princesa – Philippe se agachou na altura de
- papai, posso ir até a campina?
- e o que você vai fazer na campina, posso saber? – Philippe arqueou as sobrancelhas para a garota
- pai – choramingou – eu vou desenhar
Philippe nunca entendeu o por que de gostar tanto daquela campina mais sabia que aquele lugar dava inspiração para a filha
- Tudo Bem mais volte antes do pôr- do- sol por favor
- tudo bem papai e Obrigado – deu um beijo no rosto do pai e correu para dentro da casa para pegar suas coisas, estava voltando com suas coisas em mãos e indo em direção as escadas
- Aonde a senhorita vai com tanta pressa? – Helena pergunta
- vou até a campina Helena
- tome cuidado pequena Bú, não esqueça que depois do jantar você tem aula
- tudo bem Helena, volto antes do pôr- do- sol , agora se me dê licença – voltou a descer as escadas.
Philippe temia que um dia perguntasse o por que de não poder se misturar com as outras crianças, por isso se mudaram da antiga casa para uma bem mais afastada da cidade, Philippe dedicava suas horas de descanso ensinando a filha a ler e escrever, aprendia muito rápido as coisas, rápido até de mais, Philippe pensava em o que fazer quando os primeiros poderes de começassem a aparecer mal sabia ele que eles estavam mais próximos do que podia se imaginar.

Capitulo 02 : Como tudo começou part. 2

caminhava por entre as árvores da floresta olhando tudo atentamente, atravessou o riacho pela ponte que seu pai mandou construírem para não haver nenhum acidente, continuou andando até que percebeu que havia chegado.
A clareira era imensa, rodeada por árvores e no centro era coberta pela grama um pouco alta e em certos pontos haviam flores de vários tipos, preparou sua tela e as outras coisas que usaria para seu desenho e ficou pensando em que desenhar, olhou em sua volta e pousou seu olhar em uma certa árvore, aonde uma certa ave estava pousada, sim a águia estava ali encarando ela, se perguntava o que tanto a ave te encarava decidiu então que iria desenha-la começou a traça-la e quando terminou viu o perfeito desenho que ela havia feito
- Belo desenho – uma voz disse atrás de que por extinto se virou rapidamente, vendo um rapaz que aparentava ter seus 17 anos encarando-a com um sorriso no canto dos lábios, continuou estática vendo o loiro a sua frente,não sabia se falava com ele ou não.
- Perdão você esta bem? Parece assustada.....
- Perdoe-me pela indelicadeza e obrigado pelo elogio
- Sou Pedro Enrique Ballomeu
- Sou Ipswich Armon
- Ah então você é a filha do Sr. Armon? – Pedro perguntou colocando as mãos para trás
- Sim ,e o senhor deve conhecer meu pai eu presumo
- Sim, sou o novo empregado vou trabalhar cuidando dos cavalos
- Entendo, bom foi um prazer lhe conhecer senhor....
- Oh! Por favor me chame apenas de Pedro senhorita
-Certo, agora eu preciso ir, prometi a meu pai que voltaria antes do pôr- do -sol – disse pegando suas coisas
- Deixa que eu te ajudo- Pedro ajudou a garota com as coisas e voltaram para casa .
O que ninguém sabia era que Pedro Enrique Ballomeu na verdade era Pedro Enrique Ipswich , ele fora mandado pelos outros para “observar” e auxilia-la no que for preciso, Pedro aceitou de bom grado e quando viu a garota já pensou “vamos ter uma grande amizade”.
Quando chegaram a mansão Pedro ajudou a guardar suas coisas
- Mais uma vez obrigada Pedro
- E mais uma vez não há de que, bom preciso ir agora,tenho tarefas para cumprir
- Tudo bem,foi um prazer Pedro
- O prazer foi todo meu senhorita – Pedro sorriu e saiu da casa indo direto para o estábulo
ficou vendo Pedro deixar a mansão e ir até o estábulo
- Pequena Bú?
se virou e viu Helena parada analisando-a
- Oi
- venha tomar seu banho
- estou indo – foi até Helena que pegou sua mão e rumaram até o quarto da garota
A criada deu banho em que depois foi a biblioteca/escritório de seu pai onde mesmo lhe ensinou algumas coisas, logo depois Helena adentrou no local anunciando que o jantar estava servido
- Vamos princesa chega de aulas por hoje – Philippe disse pegando a menina no colo e indo em direção a sala de jantar.
O jantar como sempre foi recheado de brincadeiras,conversas e risadas quando terminaram Philippe pediu licença e foi a biblioteca para terminar alguma coisa que não entedia direito enquanto isso ficou na cozinha vendo Helena lavar a louça enquanto terminava de comer a sua sobremesa
- Esta na hora de escovar os dentes para dormir princesinha – Philippe disse adentrando na cozinha
- Mas papai......
- vamos filha,já esta tarde
- mas......
- seu pai tem razão pequena Bú, já era para estar na cama – Helena disse enxugando as mãos no pano de prato
- Ta bom, já que não adianta discutir
- pode ter certeza que não – Philippe disse rindo
levantou e foi até Helena
- Boa Noite Lena!- disse dando um abraço e um beijo no rosto da criada
- Boa Noite pequena Bú! Sonhe com os anjos
se virou e foi até o pai onde o mesmo a pegou no colo e subiram escada
- agora vá escovar os dentes direitinho
- tudo bem papai
foi até o banheiro e escovou seus dentes quando terminou voltou pro quarto seu pai estava esperando-a sorrindo, espontaneamente sorriu também e foi se deitar seu pai a cobriu como sempre fazia e deu-lhe um beijo na testa
- Boa Noite minha princesinha
- Boa Noite papai
- Sonhe com os anjos
- o senhor também
- Eu te amo minha filha
- Eu também te amo papai
Philippe deu mais um beijo na testa da garota e saiu deixando a porta entreaberta onde só um feixe de luz iluminava o rosto da garota
pegou no sono rápido, mas o sonho que teve foi um tanto quanto estranho
Sonho P.O.V
caminhava por entre as árvores da floresta quando chegou em uma campina florida (N/A: não é igual aquela do Edward e da Bella) foi andando entre elas e se sentou sobre a grama e as flores, fechou os olhos e respirou fundo, ouviu um bater de asas e os abriu lentamente em sua frente a águia lhe encarava arregalou levemente os olhos e ficou encarando-a também
- Olá – a garota ouviu uma voz suave na sua mente e arregalou ainda mais os olhos
- O que? Quem é você? Como me conhece? – perguntou ainda encarando a ave
- acalme-se ,não precisa ficar assustada não vou lhe machucar
- Como me conhece? - repetiu a pergunta
- Te conhece desde de quando você nasceu
- Quem é você? –
- Sou Safira, sua guardiã...
- Mi- minha guardiã?
- Sim, infelizmente eu só posso falar com você através dos sonhos
- Por que?
- Você não deixa sua mente aberta para eu poder me comunicar e também por que seu pai iria desconfiar
- papai? O que ele tem haver com isso?
- Ah pequena criança, acredite ou não ele tem muito haver com isso, no momento não posso lhe explicar muita coisa te deixaria confusa
- O que é? Conte-me Safira
- Eu não posso criança e não force tudo tem seu tempo um dia saberá de tudo, mais ouça você tem que aprender a ter controle
- como assim?
- você tem poderes , e por isso não pode ficar muito estressada e nem muito agitada
- poderes? Que tipo de poderes?- os olhos da garota brilharam
- muitos poderes você é mais forte do que pensa
- sou?
- sim, você é......
Enquanto Isso......
Helena estava indo até o quarto de para pegar a roupa suja, quando abriu a porta viu todas as coisas do quarto da garota flutuarem,Helena largou o cesto de roupas assustada saiu correndo em direção a biblioteca
- Sr. Philippe! Sr. Philippe! Rápido é a
Philippe rapidamente largou tudo que estava a fazer e correu para o quarto da filha, quando chegou viu tudo flutuando tentou ir até mas parecia ter alguma parede invisível que o impedia de ir até a garota
- Sr. Philippe o que esta acontecendo?
- Helena saia daqui deixe que eu cuido disso
- Mas Sr....
- Vá!
Helena pegou o cesto que havia deixado cair e saiu apressadamente dali, Philippe se escorou na parede e se sentou no chão permitindo que as lágrimas caíssem
No Sonho......
- preciso que me ouça com atenção....
- pode falar Safira
- a família de sua mãe é composta por bruxos, bruxos muito poderosos
- bruxos? – perguntou com medo
- se acalme querida, são bruxos bons........nem sempre..... mas na maioria das vezes eles são bons e você também é, só que você é uma feiticeira.....
- E qual é a diferença?
- como é que eu vou explicar isso para você?......Certo na maioria das vezes isso acontece com bruxas, quando uma bruxa e apaixona por um humano ela.....ela......
- Espera Safira eu acho que entendi quando mamãe conheceu o papai ela se apaixonou por ele?
- Isso, então ela.....ela....
- Ela se entregou para ele e ela ficou grávida de mim, uma híbrida que tem mais sangue de bruxo do que humano e isso me faz uma feiticeira?
- Ufa! Espera como você sabe de tudo isso?
- aprendo rápido as coisas Safira....
- certo isso é uma das vantagens de ser tão poderosa, mas enfim seus avós maternos são bruxos você já deveria estar com eles para poder controlar seus poderes mas seu pai fez o favor de atrapalhar
- papai?
- sim seu pai fez um acordo com seus avós e os outros Ipswich que só quando você completasse seu 18º aniversário eles poderiam te levar mais eu acho isso um absurdo seus poderes já estão evoluindo e você precisa saber controla-los sozinha seu pai não saberá como te ajudar só Pedro mais ele.......
- espera Pedro? Pedro Enrique Ballomeu o novo empregado? O que ele tem haver com isso?
- na verdade seu nome é Pedro Enrique Ipswich, ele foi mandado para lhe observar e ver se você demonstra algo diferente e te ajudar no que for preciso, além de ser seu braço direito
- certo.....
- só tenta ficar sempre calma caso ao contrário você pode se descontrolar e até matar pessoas, e quando os outros Ipswich chegaram para te buscar você não precisa se assustar é seu destino ir com eles e você precisa ser treinada tudo bem?
- Sim Safira
Safira suspirou e voltou a falar
- Você precisa acordar,seu pai precisa de você
-PAPAI?
- ! Calma lembra?
- Certo
- lembre-se mantenha-se sempre calma e nunca tivemos essa conversa correto?
- sim Safira
- tudo bem tchau pequena
- tchau Safira
Sonho Off
acordou lentamente, abriu os olhos devagar como Safira havia pedido, levantou da cama e olhou em volta “tudo normal” levantou e saiu do quarto logo no corredor encontrou seu pai sentado chorando chegou perto se abaixou ficando na altura do pai,colocou sua mãozinha no cabelo do pai fazendo cafuné ali
- Papai o que houve?
Philippe levantou a cabeça e viu sua menininha ali tão carinhosa como a mãe a olhando com seus lindos olhinhos azuis
- Oh, minha filha
Philippe pegou no colo a alinhando e beijou o topo da cabeça de ficaram assim até cair no sono novamente Philippe levou a garota até sua cama e ficou por um tempo velando seu sono,mas logo se sentiu cansado e foi para seu quarto dormir.
CONTINUA........

N/A: Hey girls bom é minha primeira fic desse gênero e no site TFI vai demorar um pouco para os personagens de Twilight aparecer, os primeiros capítulos vão ser co a pp pequena e como ela desenvolveu seus primeiros poderes e como foi treinada essas coisas provavelmente os personagens da saga apareçam do 4 capitulo adiante mas garanto que vocês vão amar ( eu espero) qualquer coisa falem comigo
Pelo Face : http://www.facebook.com/roberta.spadotto.7
Pelo Twitter : https://twitter.com/Onecraazy_queen
Ask : http://ask.fm/YourStarGirl

Obrigada por lerem e é isso ai até o próximo
Ah mais uma coisa a mesma garota do penteado é a pp pequena tá, agora eu vou indo comentem -*




Capitulo 03: O Retorno

1715 – Residência dos Ipswich

agora já era uma moça, seus longos cabelos loiros brilhosos,seus olhos azuis penetrantes e sua pele branca.
Depois do sonho que teve com Safira, ela se aproximou muito de Pedro,como Safira havia previsto, Pedro agora era melhor amigo de , também teve um grande progresso com seu autocontrole, mas ainda sim se descontrolava e Pedro sempre estava ali para ajuda-la e nos sonhos Safira a treinava, seu pai até então sabia que Pedro era diferente mas não disse nada por que sabia que isso aconteceria,apesar de todos os poderes só havia revelado apenas 1 que era o poder de controlar as coisas.
Hoje era véspera do aniversário de 18 anos de e ela decidiu que não queria baile,não queria nenhuma comemoração.
- Ainda não entendo o por que de não querer um baile.... – Pedro comentava com enquanto caminhavam por entre a cidade, agora ela podia sair de sua casa mas sempre escoltada por Pedro
- Pela milésima vez Pedro,eu não quero lembra da última vez? – perguntou olhando para Pedro
- Só por que você se descontrolou no seu baile de 15 anos não significa que ira se descontrolar nesse também, poxa já se passou 3 anos desde daquele incidente
- Eu não sei Pedro, estou com um mal pressentimento parece que algo vai acontecer hoje a noite
- o que é que pode acontecer honey?
- não sei Pedro mas você sabe como eu sou sempre com um pé atrás
- deixa disso darling nada pode acontecer – Pedro disse passando o braço pela cintura de e continuaram a caminhar
Quem os via pensavam que eram namorados, mas não só melhores amigos .....

Enquanto isso......

Estavam todos reunidos no subterrâneo do castelo, aonde era a sala de reuniões cada um sentado em seus devidos tronos.
- Chegou a hora meus caros, ao badalar da meia-noite poderemos enfim trazer a ultima Ipswich – Alexandre dizia com um sorriso nos lábios
- Esperamos por muito tempo- dizia Olímpia
- Sim, mas valeu a pena esperar, creio que agora será mais fácil treina-la - dizia Salomão
- Eu espero meu caro, eu espero – Dizia Alexandre

*******************************************************************************************

Pedro e estavam na campina (que desde então virou campo de treinamento para ) duelando com suas espadas, Safira pousou em uma pedras em frente a eles.
- Veja Honey, Safira chegou para ver sua derrota – Pedro disse enquanto golpeava
- Pelo ao contrário meu caro Pedro – golpeou Pedro fazendo-o cair no chão enquanto levava a espada em seu pescoço – Ela veio rir de você – completou rindo
abriu sua mente e logo pode ouvir a risada de Safira
- Bom, muito bom – Safira a elogiou
- Obrigada! – agradeceu mentalmente
- Não foi uma luta justa eu me distraí quando a Safira pousou – Pedro disse se levantando do chão
- Quando estiver lutando sempre mantenha toda sua atenção na luta, jamais se desconcentre – disse imitando a voz de Pedro fazendo o mesmo bufar e guardar sua espada
- Tenho que aprender a não te dar mas conselhos, por que eu mesmo não uso nenhum deles – Pedro disse rindo fazendo rir
O sol já se punha por entre as montanhas dando a lugar a noite
- é melhor irmos para casa já esta escurecendo
- concordo
Voltaram para casa brincando e rindo
- Papai? – disse entrando na casa sendo seguida por Pedro
- Seu pai ainda não voltou, querida – Helena apareceu no campo de visão de
- Ainda não? Ele ficou o dia todo fora......
- Então admite que sentiu minha falta? – uma voz grossa disse atrás de
- PAPAI! – abriu um sorriso enorme e se virou se jogando nos braços do moreno que ria com a euforia da garota
- Olá minha princesinha – Philippe retribuiu o abraço de quando se soltaram Philippe virou para Pedro
- Pedro! Como vai meu rapaz? – Philippe disse sorrindo apertando a mão de Pedro e dando alguns tapinhas em suas costas
- Estou ótimo se....., Philippe!
- Que bom
Logo rumaram para a sala de jantar para comerem depois do jantar foram a sala de estar e ficaram ali conversando quando o relógio começou a badalar avisando que era meia-noite todos deram feliz aniversário para que estava muito feliz mais a sensação de que algo iria acontecer estava mais forte e isso a deixava incomodada
foi tirada dos seus pensamentos bruscamente quando a porta da sala é aberta é várias pessoas com capas entram na sala, por extinto levanta e ficou olhando-os um deles abaixa o capuz de sua capa revelando seu rosto
- Olá novamente Philippe
- Alexandre...... – Philippe disse visivelmente assustado
conheço esse nome de algum lugar” – pensou

FlashBack On:

- Safira, como se chama meus avós?
- Por que quer saber disso?
- curiosidade
- Seu avô se chama Alexandre Ipswich, ele é muito poderoso mais você acaba com ele em menos de dois segundos – Safira disse rindo fazendo rir também
- E minha avó?
- Sua avó se chama Olímpia Ipswich, ela consegue ser muito doce sabe mas se alguém mexer com alguém de sua família, é melhor sair de perto......

FlashBack Off:

- Já faz muito tempo Philippe – Olímpia disse abaixado seu capuz
- Não! – Philippe disse chegando perto de e a colocando para trás
- Philippe, não complique as coisas o acordo foi esse – Finn disse já ficando irritado
- Acalme-se Finn não viemos brigar– Alexandre o advertiu
- Papai esta tudo bem.... – disse encostando a mão nos ombros do pai – eles não vão me machucar – disse olhando para eles que sorriram, sendo retribuídos
- mas filha.....
- papai entenda eu não sou normal, quer dizer não digo que sou uma aberração, mas pense bem lá eu posso ser treinada, descobrirei mais dos meu poderes e saberei como controla-los, o senhor não quer que eu me descontrole e todos fiquem sabendo da nossa existência – disse apontando para ela e os outros Ipswich – não é? Até por que esse é meu destino tenho que lutar contra aqueles que não seguem as regras – Quando terminou de falar todos da sala olharam-na espantados “como ela sabia de tudo isso?” esse era o pensamento de todos
- Inacreditável – Alexandre disse sorrindo bobo
- Este é seu desejo minha filha? – Philippe disse olhando com lágrimas nos olhos
- As vezes temos que deixar ir aquilo que amamos papai – disse também com lágrimas nos olhos tirou Safira de seus ombros a colocando em cima do ombro de Pedro, foi até Philippe e o abraçou – Eu voltarei papai
- deixe ir aquilo que ama se ele volta é por que te ama- Philippe repetiu as palavras de que derramou mais lágrimas assentiu com a cabeça
- Vamos querida – Olímpia disse puxando pela mão olhou brevemente para Philippe e acenou com a mão
Safira pousou no ombro de novamente e saíram da sala indo em direção as carruagens Olímpia conduziu a uma onde a mesma entrou com Safira e Pedro em seu alcanço
- Acalme-se Honey você vai ficar bem – Pedro disse tentando acalmar a amiga que ainda chorava
-Ele tem razão querida vai ficar tudo bem – Safira disse tentando acalmar
De repente parou de chorar e sorriu,iria ficar tudo bem esse era seu destino.


Capitulo 04: Conhecendo os outros Ipswich

A viagem era longa Pedro estava a dormir e Safira havia saído para caçar pois estava com fome, já não conseguia dormir ficava pensando como seria lá, como seria ser treinada, ela precisava ser forte.

********************************************************************************************

- Safira me explique direito como é esse negócio de 5 famílias Ipswich’s
- Sabia que um dia você me perguntaria isso , bom vamos lá os Ipswich’s são compostos por 5 famílias.
Sendo que uma que foi morta em 1550 na época dos caças as bruxas a partir de então os Ipswich’s tiveram que se afastar da sociedade já que muitos deles ainda não sabiam controlar seus poderes, seu avô Alexandre é da primeira família e o Ipswich mais velho entre eles sendo assim ele é o mais respeitado deles eu acho não tenho certeza, sua avó Olímpia é da segunda família...
- segunda família?
- sim, deixe-me explicar a família Ipswich teve um grande conflito fazendo assim alguns se separarem e foi assim que as 5 famílias nasceram
- ah!
- continuando sua avó Olímpia é da segunda família e a segunda mais velha entre os outros quando conheceu Alexandre logo se apaixonou quando se casaram resolveram ajuntar as famílias Ipswich’s e desde de então vivem juntos.
- Não vou mentir pra você querida – Safira suspirou – Mas a lei era clara, não se envolver com nenhum mortal, mas sua mãe tinha que desrespeitar essa ordem então ela se entregou para Philippe, mas ela teve consequências elas perdeu seus poderes
- sim quando você faz algo errado, você tem que arcar com as consequências e a consequência dela foi essa perder seus poderes foi por isso que ela morreu
- como?
- quando você estava no ventre de sua mãe você era muito forte , forte de mais para uma mortal então quando ela deu a luz não teve mais forças para aguentar e acabou falecendo

***************************************************************************************************

- Honey,Honey acorde chegamos – abriu os olhos lentamente dando de cara com a cara de Pedro sorrindo doce para ela imediatamente sorriu também
se espreguiçou e olhou para Pedro
- Então.... Vamos?
- Oh! Claro – Pedro abriu a porta da carruagem descendo e estendendo a mão para se apoiar, quando desceu da carruagem ficou maravilhada com a visão de que teve ela pode ver um imenso castelo o gramado em volta dele dava destaque assim como a cor antiga dele o fazia parecer mal assombrado.
- Gostou querida? – olhou para o lado e viu Olímpia sorrindo para ela
- Sim.
- Que Bom que gostou por que agora essa é sua casa também – sorriu docemente para ela que retribuiu
- Venha vamos entrando,temos muito o que fazer
seguiu Olímpia para dentro do castelo que era ainda mais belo, Olímpia falou alguma coisa com a criada que assentiu e veio até
- Senhorita Ipswich, por favor me acompanhe mostrarei- lhe seus aposentos- a criada disse de cabeça baixa, parecia amedrontada, resolveu não falar nada, só seguiu a mulher escadaria acima chegando no quarto que agora seria o de
- Mais alguma coisa Senhorita? – a criada perguntou com a voz tremula
- Sim, quero que me diga o por que de estar com medo – disse calmamente olhando para a mulher a sua frente
-e-eu na-não estou-u com med-o Senhorita
- seu olhar é de puro medo,sua voz tremula te entregam prontamente, sua cabeça baixa não me olhando nos olhos contribuem para isso- disse tudo em um só fôlego a criada levantou a cabeça lentamente encarando nos olhos, logo se sentiu tranquila de certa forma os olhos azuis da garota a tranquilizaram – E então poderá me contar o motivo de seu medo? – disse se sentando na cama e olhando a criada
- como?
- desculpe é que os outros Ipswich’s são frios e grossos e você não é, pelo menos não aparenta ser
- Então os outros Ipswich’s são frios e grossos?
- Sim, senhorita, lembro-me bem quando cheguei aqui, eles nos tratam como lixos
- Isso é verdade? – perguntou se levantando e se aproximando da criada
- Sim, os soldados dos castelos nos espancam, e abusam das outras criadas
- E você já foi espancada por algum deles?
- Sim senhorita – A criada levantou a barra do vestido sujo e mostrou uma cicatriz, mais espera, aquilo não era uma simples cicatriz,aquilo era..... – Eu fui abusada por um dos guardas do castelo, e ele me marcou me deixando com a sigla de seu nome – A queimadura formava um nítido “T”
- Pelo amor dos Deuses – disse horrorizada,a pobre havia sido marcada, como o pastor marca suas ovelhas – Mais isso é um absurdo
- Eu sei senhorita, mais não podemos fazer nada – a criada disse abaixando a barra do vestido e abaixando a cabeça
- como se chama?
-Katarina, Senhorita
- por favor Katarina me chame apenas de e fique tranquila ninguém mais encostará um dedo em nenhuma de vocês
- como assim?
- Aguarde e verá, mas quero que me prometa que se algum guarda do castelo ousar encostar um sequer dedo em vocês imediatamente mande ME avisaram ok? Avisem a mim
- Tudo bem e Obrigada!
- não há de que, agora vá antes que desconfiem, foi um prazer Katarina
- o prazer foi todo meu
Katerina saiu porta a fora deixando perdida em seus pensamentos, como os Ipswich’s podem deixar tal fato acontecer e não fazerem nada? “Mais isso vai mudar,isso tem que mudar!”

Continua...

N/A: Heey gente estão ai os personagens


3 COISINHAS :
1: Vocês gostaram da capa?
2: A fic ganhou um trailer da minha linda amiga AnaTeresa! o link do trailer é esse : www.youtube.com/watch?v=vla1JQ-iook
3: COMENTEM! Gente sério eu só recebi um comentário assim eu não sei se vocês estão gostando ou não :(
então..... comentem :)

Capítulo 5 - Sendo Treinada


’s POV
Quando Katarina saiu do meu novo quarto, fiquei pensando em o que fazer para ajudá-las, eu tinha que fazer algo ou eu não me chamava Ipswich Armon. Sentei-me na cama e fiquei pensando em o que fazer, fui tirada dos meus pensamentos por um barulho vindo da janela, olhei para a janela e Safira estava ali, ela estava esperando eu abrir a janela. Fui até a janela e a abri.
- Até que enfim! – ela disse pousando em cima da cadeira que ficava perto da escrivaninha – O que te atormenta minha querida?
- Safira, eu descobri que as criadas daqui são espancadas, molestadas.....
-Como?
- Isso mesmo, a criada que me trouxe até aqui, Katarina me contou que ela e as outras eram espancadas e molestadas pelos soldados do castelo.
- Mas ela te disse isso assim do nada?
- Não Safira, eu perguntei para ela, você acredita que eles marcam elas como se fossem ovelhas? Katarina tem um “T” nítido na sua perna esquerda.
- E o que mais ela te disse?
- Ela disse também que eu não era igual aos outros Ipswich’s fria e grossa e que os outros Ipswich’s as tratavam como lixo.....
- E o que pretende fazer?
- Não posso deixar isso acontecer e deixar imune Safira, eu tenho que protegê-las.
- Entendo......
- Como eles podem deixar isso acontecer e não fazer nada?
- Eu avisei que nem sempre os Ipswich’s eram bons.
- Mas isso vai mudar Safira, isso tem que mudar.....

Fui tirada da minha conversa mental com Safira, por batidas na porta, levantei e fui até a mesma a abrindo e encontrando Pedro sorrindo, dei passagem para ele entrar.
- É bom ter uma boa desculpa para ter atrapalhado nossa conversa – eu disse e ele me olhou fingindo indignação – palavras de Safira – eu disse apontando para a águia. O que? Ela que me mandou falar isso.
- Safira, sei que me ama. – Pedro disse rindo enquanto se jogava na minha cama.
Vai sonhando bruxinho de uma figa....- Safira disse mentalmente para mim
Não consegui segurar e soltei um risinho fraco.
- Do que está rindo?
- Essa Safira.....

Pedro e ficaram conversando até o entardecer, logo Pedro teve que ir para seus aposentos e só ficou e Safira.
- Como se sente? -Não posso dizer que estou normal Safira, por que não estou, sinto falta de meu pai e de Helena e estou muito ansiosa para saber o que vai acontecer.
- O seu treino se intensifica amanhã, é melhor estar preparada, eles querem que seus poderes evoluam mais rápido, isso vai usar muito da sua energia, o treinamento não é nada fácil.
- Nada é fácil, Safira, mas eu estou disposta a passar por esse esforço.
- É o seu destino.
-Exatamente!
- Bom, então descanse, quando o sol der os seus primeiros sinais vai estar na hora de levantar.
- É também acho melhor descansa,r amanhã será um grande dia, mas primeiro eu preciso de um banho.

Levantei e fui tomar um banho, quando sai do banheiro Safira não estava mais lá,fui até minha cama e me deitei pegando no sono rapidamente.


-x-


Acordei e o sol ainda nem havia nascido, tentei dormir novamente, mas estava ansiosa demais para isso levantei e fui até meu armário escolher uma roupa, optei por um vestido branco com detalhes azuis. Arrumei meu cabelo em uma trança de lado e sai do meu quarto o corredor estava um pouco escuro, as tochas que o iluminavam estavam distantes uma das outras, continuei andando pelos corredores observando cada detalhe, eu estava fascinada por cada detalhe, continuei andando e acabei esbarrando em algo, ou melhor, alguém.
- Me perdoe estava distraída.
- Esta tudo bem – levantei a cabeça e encontrei um dos Ipswich’s acho que o nome dele era Finn – Esta perdida pelo castelo senhorita?
- Na verdade estou explorando o castelo, sabe me dizer aonde fica a cozinha? Preciso me alimentar fui dormir ontem sem comer nada!
- Claro, por aqui – seguimos pelos corredores do castelo – Bom, acho que não tive a oportunidade de me apresentar, sou Finn Ipswich – Finn disse estendendo a mão, apertei ela sorrindo.
- É um prazer Sr. Ipswich....
- Oh! Por favor, só Finn.
- Certo Finn, me chamo Ipswich Armon, mas acho que você já deve ter conhecimento sobre mim.
- Oh,sim. Te conheço desde que nasceu – ele disse rindo sendo acompanhado por mim - Sem querer ser ousado, mas o que faz acordada essa hora? Que eu saiba seu treino só começa quando o sol aparecer no horizonte.
- Eu sei, mas parece que a ansiedade falou mais alto! – eu comentei rindo.
- Ah! A ansiedade! – Finn disse rindo. – Primeira lição , quando estiver treinada saberá, mas já vou adiantar um pouco as coisas para você, quando estiver fazendo seu trabalho deve desligar as suas emoções, imagine só você estará matando um frio, ele irá te implorar para que você não o mate e você vai fazer o que? Não pode sentir dó dele , é por isso que você deve desligar.
- Então é por isso que vocês são tão grossos e frios?
- Perdão?
- Finn não se ofenda, mas eu sei que vocês Ipswich’s não são as pessoas mais simpáticas do mundo! – eu disse me virando para ele.
- Desligamos nossos sentimentos, . Só nos importamos com quem é importante para nós.
- Então eu sou importante para vocês?
- Como?
- Você disse que só se importam com quem é importante para vocês, e vocês não me trataram mal até agora.
- eu sou seu tio avô, acho que é normal que te tratemos bem, você é da família, você é uma Ipswich!
- Tudo bem, Finn – havíamos chegado na cozinha Katarina e mais uma moça estavam lá, quando viram Finn fizeram uma pequena reverência, quando se viraram para mim iam fazer a mesma coisa mas eu interrompi antes.
- Não,não,não, não sou nenhuma rainha para vocês fazerem reverências, por favor! – Finn me olhou como quem diz “O que está fazendo?” – eu assumo daqui Finn.
- Tudo bem, bom apetite! – Finn disse se retirando.
- Olá Katarina.
- ! Olá, bom essa é Elizabeth – Katarina disse apontando para a garota ao seu lado – Elizabeth essa é de que eu te falei.
- Olá, Senhorit...
- ! Me chame apenas de ,Elizabeth, sem senhorita.
- Tudo bem, . – Elizabeth era uma moça muito jovem, sua pele era da cor morena e tinha seus cabelos negros.
- O que vai querer para o café?

- Qualquer coisa, só disse que estava com fome para poder despistar Finn – Katarina e Elizabeth riram sendo acompanhadas por mim.
- Seu treinamento é hoje, não é? – Elizabeth me perguntou.
- Como...
- Escutei vocês no corredor, desculpe.
- Tudo bem querida, mas sim, hoje é meu treinamento, então preciso estar firme e forte.
- Bom, iremos te preparar um ótimo café da manhã, precisa estar forte para ser treinada, afinal saco vazio não para em pé – Elizabeth com a ajuda de Katarina prepararam um café recheado de coisas após terminar meu café Alexandre entrou no cômodo.
- querida, venha, você precisa conhecer os outros Ipswich’s – me levantei e segui Alexandre pelos corredores descemos vários rolos de escadas até chegarmos ao subterrâneo do castelo onde tinha uma porta enorme dourada, Alexandre a abriu e entramos, havia 5 tronos, 2 de fronte para a porta, onde em um estava Olímpia e no outro vago suponho que seja o trono de Alexandre e os de mais estavam de fronte para os 2 tronos e ao lado da porta quando nos viram todos se levantaram.
- este é Salomão, ele será seu treinador de resistência – ele disse apontando para o moreno que parecia me estudar o máximo que podia.
- É um prazer- eu disse sorrindo.
- O prazer é todo meu e seja bem-vinda – ele disse beijando minha mão.
- Esta é Susana, ela será sua treinadora de arco e flecha.
-Olá, é um prazer enfim te conhecer – Susana sorriu para mim sendo retribuída.
- O prazer é meu, Susana.
- Esse é Finn...
- Já nos conhecemos, Alexandre. – Finn disse sorrindo.
- Oh! Já? Tudo bem. Bom, Finn irá treinar sua velocidade e seu equilíbrio.
- Certo...
- Eu irei te ensinar como manusear uma espada e como se deve lutar e Olímpia irá te ajudar com os poderes, ela irá te ensinar feitiços dos mais fracos até os mais fortes.
- Tudo bem.
Alexandre foi até Pedro e disse algo a ele e logo se sentou em seu “trono”.
- Pedro vai lhe acompanhar até seu quarto para colocar sua armadura, quero ver como você luta armada.
Eu e Pedro saímos em silêncio da sala, quando chegamos ao meu quarto eu resolvi quebrar o silêncio.
- Eu vou colocar a armadura – eu disse entrando no meu quarto, a armadura estava em cima da minha cama, fui ao banheiro e a coloquei.
A armadura era pesada, mas nada que eu não aguentasse, arrumei meus cabelos deixando-os em um coque e segui para fora do banheiro, encontrei Pedro sentado na minha cama.
– Estou pronta. – Pedro olhou para mim e eu fiz uma careta fazendo o rir.

- Você se acostuma – Pedro disse ainda rindo.
- Vamos logo.
Voltamos para o subterrâneo e todos me olharam sorrindo.
- Você fica com ar de mais forte quando está vestida assim – Alexandre disse ainda sorrindo, ele também estava vestido com sua armadura, Olímpia se levantou e veio até mim.
- Querida, essa é sua espada e seu escudo, vai precisar deles. – Olímpia disse entregando minha espada e meu escudo.
- Obrigada. - sorrimos e ela voltou para o seu devido lugar.
- Está pronta? – Alexandre disse se levantando e vindo até a mim, respirei fundo “eu vou conseguir”
- Sim!
Alexandre e eu fomos para dentro da floresta, subimos algumas rochas até chegar em um campo com algumas árvores afastadas das outras, um lugar perfeito para se treinar.
- Primeiro quero ver como luta, depois te ensinarei algumas coisas. – só assenti e me posicionei, começamos a duelar, ele era bom mas eu era melhor, investi uma vez mas ele desviou, investi a segunda sem sucesso também. Ele pareceu perceber meu jogo e começou a investir, em uma de suas investidas Alexandre conseguiu me prender pelo pescoço. mas se ele achava que havia ganhado, estava muito enganado.

- Xeque Mate.
- Eu acho que não, a ponta de minha espada está em cima da veia arterial de sua perna. Mais um empurrãozinho e eu te mato, você nem terá tempo de reagir – Alexandre tirou lentamente a espada do meu pescoço, ele enfiou sua espada na terra e começou a bater palmas.
- Você é ótima. Parabéns, , é digna de uma Ipswich. – me curvei rapidamente.
- Agradeço pelo elogio, há algo que precisa ser melhorado?
- Não! Em todos os meus anos de existência nunca vi alguém lutar melhor do que você e tem tendência a melhorar você é nova com o tempo terá mais agilidade assim que seus poderes fluírem... Bom, mais uma rodada? – Alexandre disse pegando sua espada ficando em sua posição, sorri e peguei a minha também e assim passou até os últimos raios solares eu e a Alexandre duelando com espadas.
Até que não é tão ruim...


Capítulo 6 - A Melhor Ipswich


1 Mês depois...
Um mês havia se passado, eu era considerada a melhor dos Ipswich. Já sabia vários tipos de feitiço, meus poderes haviam evoluído, agora eu tinha vários poderes, entre eles os que eu mais gostava, eu podia me teletransportar, podia controlar os elementos, podia curar as pessoas com um simples gesto de mãos, eu poderia quebrar todos os ossos do corpo de uma pessoa e o que eu mais gostava, eu podia me transformar em uma águia. Pedro dizia que era uma águia mais bonita que a Safira, eu estava muito próxima de Katarina e Elizabeth. Agora eu estava terminando de colocar minha armadura, hoje eu teria aula de arco e flecha com Susana, ela era uma boa treinadora aprendi vários truques com ela, terminei de colocar minha armadura e sai do meu quarto em direção a cozinha chegando lá vi somente Elizabeth.
- Bom dia, Elizabeth!
- Bom dia, . Como está essa manhã?
- Estou ótima querida, obrigada por perguntar e você?
- Estou ótima, sente-se, servirei seu café.
- A propósito, onde está Katarina?
- Ela teve que ir até sua casa, seu pai está muito doente.
- O Sr. Giuseppe? Acha que ele ficará bem?
- Eu realmente não sei, o estado dele é realmente grave...
- Eu não posso visitá-lo agora, quando voltar do meu treinamento darei uma passadinha rápida lá.
- Tudo bem, bom treinamento.
- Obrigada, Elizabeth!
Saí do castelo, respirei fundo e imaginei o campo de treinamento, fechei os olhos e me senti sendo levada por uma brisa suave, quando abri os olhos estava no meio do campo de batalha. Eu sempre ficava impressionada quando conseguia fazer isso, senti uma presença perto de mim, dei uma risadinha e me virei pegando no ar a flecha que vinha em minha direção.
- Boa tentativa Susana, mas não foi dessa vez! – eu disse rindo e logo vi Susana descendo de uma árvore a mais ou menos 30 metros de distância de mim.
- Está cada vez melhor ! – Susana gritou de onde estava.
- Obrigada! – Susana veio até a mim e me cumprimentou com um abraço.
- Como vai minha sobrinha neta preferida?
- Ah tá, sou sua única sobrinha neta!
- É por isso mesmo que é minha preferida – Susana disse rindo – Vamos começar?
- Claro. – peguei meu arco e flecha e me preparei.
- Pronta? –assenti com a cabeça e respirei fundo – Mire no seu alvo – fechei um olho e mirei meu alvo – Quando você quiser – soltei a flecha e ela foi direto para o meio do alvo.
- Prontinho.
- Sempre me impressionando, agora suba em uma árvore e tente atirar de lá de cima quero ver sua mira do alto.
Fiz o que Susana pediu e preparei mais uma flecha, mirei e rapidamente lancei minha flecha e como a anterior, ela foi rapidamente de encontro com o alvo.
- Até parece que sua mira é melhor daí de cima....
- Será?
- Sim..... Bom, vamos de novo.
Lancei mais algumas flechas e logo eu tinha terminado de treinar.
- Gostaria de ficar aqui conversando com você Susana, mas prometi que voltaria para visitar o Sr. Giuseppe, ele está doente vou ver se consigo curá-lo.
- O pai de umas das criadas?
- Sim, ele mesmo. Bom vou indo, tchau Susana.
- Tchau, querida.
Respirei fundo e me concentrei em estar na frente do castelo, logo senti a mesma brisa me levar, abri os olhos e estava na frente do castelo, comecei a andar em direção a aldeia que ali havia. A aldeia era bem simples, mas era grande e muito confortável, eu adorava subir e descer as escadas e ladeiras que pareciam formar um labirinto, as pessoas me olhavam e me cumprimentavam alegres, e eu as cumprimentavam da mesma forma,eram pessoas adoráveis e eu adorava conversar com eles - ! – olhei para trás para ver quem me chamava e encontrei Dalila vindo sorrindo ao meu encontro com Zahra.
- Dalila! Zahra!
- Por onde esteve? Não te vejo desde ontem de manhã!
- Estive resolvendo uns assuntos.
- !
- Zahra! Como vai minha linda? – eu disse pegando Zahra no colo. Zahra era filha de Dalila e Elias era uma garotinha de 4 anos adorável.
- , senti sua falta você sumiu!
- Desculpe querida, não foi minha intenção, mas estou de volta!
- Promete não sumir mais?
- Zahra! Não pode fazer isso, é uma moça ocupada, não pode estar sempre disposta para você!
- Tudo bem Dalila, Zahra, não posso prometer fazer isso – Zahra abaixou a cabeça chateada – mas prometo sempre que puder vir te ver e te levar para dar uma volta, o que acha? – Zahra levantou a cabeça e abraçou fortemente – vou considerar isso um sim!
- Para aonde esta indo?
- Vou até a casa do Sr. Giuseppe.
- Oh! Ele esta bem doente não é? Todos da aldeia estão comentando,muitos acham que ele não vai sobreviver.
- Pois ele irá tratar de calar a boca suja desses fofoqueiros!
- Concordo, Sr. Giuseppe é um cara forte vai sair dessa –havíamos chegado na frente da casa da Katarina e do Sr. Giuseppe – acho que nos despedimos aqui.
-Sim, até logo Dalila – eu disse me despedindo de Dalila enquanto dava um beijo no rosto de Zahra e a entregava para Dalila – até logo minha querida.
- Quando iremos passear ?
- Zahra!
- Deixe-a Dalila, hum...Que tal hoje?
- Hoje? Sério? Eba!
- ! Pare de mimar minha filha! – Dalila disse rindo.
- Ah! Dalila deixe-me sim? Então até daqui a pouco Zahra me aguarde, até logo Dalila.
- , – Dalila saiu andando com Zahra que dava tchau com sua pequena mão, eu apenas retribuía, logo Dalila e Zahra sumiram do meu campo de visão, fui até a porta da pequena casa e bati na porta, logo Katarina atendeu, essa feição era de cansaço quando me viu abriu um sorriso mínimo.
- ! O que faz aqui?
- Vim ver seu pai, fiquei sabendo sobre seu estado, quero poder ajudá-lo.
- Entre! – Katarina deu passagem e eu entrei, a casa era bem pequena mas mesmo assim confortável – ele está aqui – Katarina apontou para uma porta entreaberta, ouvi uma tosse carregada vindo de lá e por extinto entrei, acabei encontrando o Sr. Giuseppe deitado na cama, uma manta grossa cobria-o até o peito, ele tinha um pano, que parecia estar úmido na sua testa e um termômetro na boca me aproximei da cama tentando não fazer barulho.
- Sr. Giuseppe? – eu disse baixinho, Sr. Giuseppe abriu lentamente os olhos e olhou para mim e sorriu.
- ! - ele tossiu – você veio!- mais tosse – me desculpe não estar em melhores condições para lhe receber minha menina! – ele tossiu mais um pouco – a que devo a honra de sua visita?
Desde que conheci o Sr. Giuseppe ele me trata como se eu fosse sua filha e eu não discordo, também o considero como um pai, ele até me chama de filha e eu o chamo de pai.
- Vim visitar o senhor, o que tens?
- Não é nada, é só uma gripe passageira.
- Mas é melhor tratar disso, pode piorar.
- Já não basta a Katarina, agora você? – Ele disse cruzando os braços, eu tive que rir parecia uma criança fazendo birra. Sai do quarto e Katarina estava na cozinha preparando algo que pelo o que pude sentir, era uma sopa.
- Katarina? – chamei-a e ela se virou para mim.
- Sim?
- Deixe que eu faço isso, pode descansar.
- Não! Que isso, .
- Eu insisto Katarina, nem consegue se aguentar em pé, por favor, deixe que eu assumo – Katarina parou de mexer a sopa e se sentou em uma cadeira suspirando pesadamente. Assumi o lugar de Katarina e comecei a preparar a sopa, Katarina estava com a cabeça apoiada na mesa e pude perceber que a mesma estava dormindo. Coitada, deveria estar muito cansada, terminei a sopa e coloquei um pouco em um prato, aproveitei que Katarina estava dormindo, recitei um feitiço de cura mentalmente e quando terminei peguei a bandeja que estava do meu lado, depositei o prato que estava com a sopa, coloquei um talher e fui em direção ao quarto. Cheguei no quarto e o Sr. Giuseppe tentando se sentar coloquei a bandeja em cima da cômoda.
- Deixa que eu te ajudo – ajudei Sr. Giuseppe a se sentar na cama e coloquei a bandeja em seu colo.
- Odeio me sentir um inútil.
- O Sr. não é um inútil, só esta doente e fraco, precisa de descanso, isso acontece não podemos ser forte o tempo todo.
- Eu preciso! Preciso tomar conta da Katarina e de você – eu disse começando a comer eu simplesmente ri o Sr. Giuseppe realmente me adotou como uma filha.
- Eu e Katarina estamos bem grandinhas, agora nós vamos tomar conta do Sr. – terminou de comer a sopa e se deitou – agora descanse, amanhã o Sr. vai estar novinho em folha, eu te prometo – dei um beijo em sua testa e fui em direção a porta antes de sair Sr. Giuseppe me chamou.
- Sim?
- Obrigada!
- Pelo o que exatamente?
- Por ser essa garota adorável, por vir me visitar, por cuidar de mim. Você é uma filha que todo pai e mãe querem ter, fico feliz em ter essa felicidade. Eu te amo, minha filha! – meus olhos se encheram de água, uma lágrima escorreu pela minha face e eu respondi sorrindo.
- Eu te amo, meu pai! Amanhã o senhor vai estar melhor. – disse saindo do quarto, fui para a cozinha ainda enxugando as lágrimas. Katarina ainda estava na mesa, fui até ela e a cutuquei.
- Katarina,Katarina, acorde! – Katarina se levantou em um pulo.
- O que? Que foi? Onde?
- Acalme-se sou só eu, vai para o quarto está dormindo debruçada sobre a mesa, já dei a sopa pro seu pai amanhã ele estará curado. Descanse, você pelo o que pude ver está exausta.
- Obrigada !
- Não me agradeça, te considero uma irmã e você sabe disso, seu pai é meu pai agora, bom tenho que ir prometi levar Zahra para passear.
- Tudo bem – Katarina me acompanhou até a porta e nos despedimos com um abraço apertado.
- Tome cuidado!
- Eu sempre tomo. E você descanse por favor.
- Tudo bem.
- Fique bem Katarina.
- Fique bem .
Desci as ladeiras da aldeia pensando em como será a cara de todos pela manhã, quando verem o Sr. Giuseppe novinho em folha, pelo menos ia calar a boca dos curiosos.


N/A: Oi, oi, oi gente. Demorei, mas voltei com dois capítulos prontinhos para vocês, desculpem a demora é que estava em semana de prova e tive que ficar estudando :/ Mas estou de volta, a propósito, ameiiiiiiiiii os comentários, amei mesmo *-*
Aldeia
Aldeia 3
Zahra




A PARTIR DO CAPÍTULO 7 AQUI!!!!

14 comentários:

  1. Se eu falar que eu amei vou estar mentindo, pq pelo que eu saiba não inventaram palavra que identifica essa fic linda, mas enquanto não criam ainda, eu falo que eu AMEI essa fic :D

    ResponderExcluir
  2. Cara achei incrivel.To super curiosa...Amei mesmo

    ResponderExcluir
  3. está lindo eu to amando continuuuuuaaaaaaa please vc esta fazendo um otimo trabalho!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. A estória está incrível!!!
    Estou amando e com certeza estarei acompanhando! ^_^
    Pelos capítulos postados e pelo trailler maravilhoso, deu para perceber que teremos uma grande fic.
    Adorandoooooo demais, demais!!!
    Bjkssss!!!

    ResponderExcluir
  5. amei!!! e linda a estoria,..... promete... muitas emoções...

    ResponderExcluir
  6. Já amei, com certeza vou acompanhar a fic...
    bjus
    Ate o proximo cap.

    ResponderExcluir
  7. Amei a fic.... super ansiosa para os proximos capitulos
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Gostei. Estou ansiosa para os proximos capitulos
    Bjos

    ResponderExcluir
  9. eu quero ver o proximo capitulo amei muito essa fic esta otima por favor mande o proximo capitulo espero ansiosa

    ResponderExcluir
  10. A PP está se saindo a melhor Ipswich que já existiu. E em todos os sentidos. A melhor guerreira e também a melhor amiga e companheira. Todos na aldeia a amam, graças ao seu carinho e atenção para com todos.
    Estou amandoooo, bjinhossss!!!

    ResponderExcluir
  11. Adorei espero que termine essa fic

    ResponderExcluir
  12. Quando o Jake aparece??? daqui a pouco estamos no capítulo 50 e nada dele -.-

    ResponderExcluir
  13. Ansiosa pelos proximos capitulos! Adoreiii

    ResponderExcluir